Ex-Dia Estadual da Caridade Irmã Dulce (13 de março)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/643

Próxima Celebração "Ex-Dia Estadual da Caridade Irmã Dulce": Terça-Feira, 13 de Março de 2018, : daqui 144 dias, 16:47:03-02:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 2 minutos.

O Dia Estadual da Caridade Irmã Dulce em 13 de março de cada ano, era uma comemoração do Estado brasileiro da Bahia, que havia sido instituída pela Lei Nº 6.425 DE 5 de novembro de 1992, mas que foi revogada pela Lei Nº 13.152 de 16 de abril de 2014, através da qual se criou o "Dia Estadual em Memória à Bem Aventurada Dulce dos Pobres" em 13 de agosto de cada ano, que apenas não foi convertida em feriado no estado, por não haver mais vagas disponíveis no calendário local.

A antiga data comemorativa do Estado dos baianos tinha por fim, marcar a data do aniversário da morte da religiosa brasileira do catolicismo, Maria Rita Lopes Pontes [mais conhecida como Irmã Dulce], que faleceu em 13 de março de 1992, depois de haver desenvolvido um grande trabalho caritativo em favor das classes menos favorecidas da população baiana.

O antigo dia celebrativo da Bahia, seguindo o lema da homenageada, tinha a finalidade de assistir [de forma genérica] as obras assistenciais da Irmã Dulce, pelo recolhimento de doações da comunidade, a partir de uma campanha a ser realizada pela Assembleia Legislativa, com o apoio do Governo do Estado da Bahia, o que parece não ter acontecido na prática.

Então veio a edição da Lei supracitada que instituiu a nova data festiva do Estado dos baianos, com o fim de marcar a data de 13 de agosto de 1933, em que a religiosa brasileira, Irmã Dulce ou Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, recebeu o hábito das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, ocasião em que a freira da Bahia passou a ser chamada pelo nome pelo qual o Brasil a conhece atualmente.

Para conhecimento, Maria Rita, mais conhecida como "Irmã Dulce", "Beata Dulce dos Pobres" ou "Bem-Aventurada Dulce dos Pobres" nasceu na cidade brasileira de Salvador-BA em 26 de maio de 1914, e ganhou notoriedade por suas obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados, obras essas que ela praticava desde muito cedo. Na juventude, ela já lotava a casa de seus pais acolhendo doentes.
Ela também criou e ajudou a criar várias instituições filantrópicas: sendo uma das mais importantes e famosas, o Hospital Santo Antônio, que foi construído no lugar do galinheiro do Convento Santo Antônio, e que hoje atende diariamente mais de cinco mil pessoas.

Irmã Dulce foi uma das mais importantes, influentes e notórias ativistas humanitárias do século XX, o que fez com que ela recebesse o epíteto de "o anjo bom da Bahia". Suas grandes obras de caridade são referência nacional, e ganharam repercussão pelo mundo, tanto que seu nome é sempre relacionado à caridade e amor ao próximo.

Por conta desse seu trabalho, em 1982 a religiosa brasileira foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz pelo então presidente do Brasil, José Sarney, muito embora não tenha sido agraciada com a honraria.
Em 2011, foi beatificada pelo enviado especial do Papa Bento XVI no Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, numa cerimônia ocorrida na capital da Bahia, Salvador, sendo a beatificação o último passo antes da canonização, o que pode fazer com que Irmã Dulce tenha a oportunidade de ser convertida na primeira Santa Católica nascida no Brasil. Em 2001, foi eleita "a religiosa do século XX", numa eleição publicada pela revista Isto É. Em 2012, foi eleita uma das 12 maiores personalidades brasileiras de todos os tempos em pesquisa feita pelo SBT [Sistema Brasileiro de Comunicação], para eleger a personalidade que mais contribuiu para o Brasil.

Fontes consultadas:

  1. g1.globo.com/…
  2. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/643

RSS/XML