Dia Estadual de Prevenção ao Diabetes (14 de novembro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/1405

Próxima Celebração "Dia Estadual de Prevenção ao Diabetes": Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018, : daqui 354 dias, 23:58:09-02:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 6 minutos.

O Dia Estadual de Prevenção ao Diabetes em 14 de novembro de cada ano, é uma comemoração do Estado brasileiro de São Paulo, que foi estabelecida pela Lei Nº 10.816 de 1 de junho de 2001, com o objetivo central de examinar, cadastrar, esclarecer e conscientizar preventivamente sobre o diabetes.

Conforme a Lei supracitada de São Paulo, a mobilização a ser realizada, de acordo com o previsto no dispositivo legal, deverá ser executada anualmente, nos postos e repartições da Secretaria de Estado da Saúde, e em todas as unidades conveniadas junto a prefeituras do Estado, com pessoas previamente informadas e treinadas.
Ainda conforme a referida Lei paulista, deverão ser encaminhados à Coordenadoria de Planejamento de Saúde e/ou Grupo Técnico de Informações, os cadastros para a elaboração de banco de dados contendo o número de pessoas portadoras de diabetes no Estado paulista, para controle, planejamento de aquisição e distribuição de medicamentos específicos, e o acompanhamento anual da evolução da doença.
A Lei acima citada de São Paulo diz ainda que, fica assegurada para a realização da campanha instituída pela Lei de São Paulo já mencionada, a participação dos Poderes Públicos Municipais, através de convênios já existentes, e do setor privado, notadamente das entidades sindicais e CIPAs [comissões internas de prevenção de acidentes] em empresas e instituições, que poderão receber incentivos na forma regulamentar para a sua participação das celebrações dessa data festiva, em apoio ao "Dia Nacional do Diabetes" no Brasil e ao "Dia Mundial do Diabetes" ou "World Diabetes Day" em 14 de novembro, uma celebração internacional, que foi inicialmente festejada em 27 de junho, e que foi lançada em 9 de maio de 1991 na cidade suíça de Genebra, durante a 44ª Assembleia Mundial da Saúde ou "World Health assembly", pela IDF [Federação Internacional do Diabetes ou "International Diabetes Federation"], com o co-patrocínio da OMS [Organização Mundial da Saúde] ou WHO [World Health Organization], e com um substancial apoio financeiro e intelectual do Grupo Boehringer Mannheim ou "Boehringer Mannheim Group", agora Grupo Roche ou "Roche Group", que é líder mundial no campo de controle da diabetes, através da unidade de negócios do Diagnósticos Roche ou "Roche Diagnostics", Roche Assistência ao Paciente ou "Roche Patient Care".

Em 1997, essa data comemorativa foi transferida para 14 de novembro pela IDF e seus parceiros, tendo sido festejada desde aí com muitas luzes azuis, para marcar a data do aniversário do nascimento do cientista canadense, Frederick Banting, que, em parceria com o cientista canadense nascido nos Estados Unidos da América, Charles Best, foi o responsável em 1921, pela descoberta da insulina, o que lhe valeu a conquista do Prêmio Nobel de Medicina de 1923, e que, desde então, muito tem contribuído para a manutenção da qualidade de vida dos diabéticos.

Para conhecimento, o diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, que é provocada pela falta de insulina e/ou pela incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos no organismo, causando um aumento anormal da glicose [açúcar] no sangue, pois a insulina promove a redução da glicemia, ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar dentro das células, para ser utilizado como fonte de energia do organismo.

A glicose é a principal fonte de energia do organismo porém, quando em excesso, pode trazer várias complicações à saúde, como por exemplo o excesso de sono no estágio inicial, problemas de cansaço e problemas físico-táticos em efetuar as tarefas desejadas. Quando não adequadamente tratada, podem ocorrer complicações como ataque cardíaco, derrame cerebral, insuficiência renal, problemas na visão, amputação de membros inferiores e superiores, como dedos, mãos, pés..., e lesões de difícil cicatrização, dentre outras complicações.
O diabetes acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir o hormônio insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não é capaz de agir de maneira adequada [resistência à insulina]. Portanto, se houver falta do hormônio insulina, ou mesmo se ele não agir corretamente no organismo, haverá aumento de glicose no sangue e, consequentemente, o diabetes, nos seguintes tipos:

  • diabetes tipo 1: a pessoa nasce com uma predisposição genética ao problema e a impossibilidade de produzir insulina, podendo desenvolver o diabetes em qualquer idade, quando o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico, fazendo com que os anticorpos do paciente ataquem as células que produzem o hormônio insulina, e atingindo cerca de 5 a 10% dos pacientes com diabetes;
  • pré-diabetes: é um termo usado para indicar que o paciente tem potencial para desenvolver a doença, como se fosse um estado intermediário entre o saudável e o diabetes tipo 2;
  • diabetes melito [também conhecido como diabetes sacarino, diabetes sacarina, diabetes tipo 2 e diabete]: pode ocorrer por uma combinação de dois fatores: a diminuição da secreção de insulina e um defeito na sua ação, conhecido como "resistência à insulina", atingindo cerca de 90% dos pacientes com diabetes, e geralmente pode ser tratado com medicamentos orais ou injetáveis, muito embora a doença possa se agravar com o passar do tempo; e
  • diabetes Gestacional: é o aumento da resistência à ação da insulina na gestação com causa exata ainda desconhecida, que é diagnosticado pela 1ª vez na gestação, levando aos aumento nos níveis de glicose no sangue, podendo [ou não] persistir após o parto.

Para prevenir complicações, é importante que pessoas com fatores de risco testem regularmente seus níveis de glicose no sangue. Cerca de 50% dos diabéticos não sabem que possuem a doença.

Diabetes é uma doença bastante comum no mundo, especialmente na América do Norte e norte da Europa, acometendo cerca de 7,6% da população adulta entre 30 e 69 anos e 0,3% das gestantes. Alterações da tolerância à glicose são observadas em 12% dos indivíduos adultos e em 7% das grávidas. A alimentação inadequada e hipercalórica fez com que a incidência de diabetes tipo 2 aumentasse de forma alarmante nas pessoas com idade abaixo dos 40 anos. Segundo uma projeção internacional, com o aumento do sedentarismo, obesidade e envelhecimento da população, o número de pessoas com diabetes no mundo tende a aumentar em mais de 50%, passando de 380 milhões de portadores em 2025.
Atualmente, a Ciência considera o diabetes tipo 2 como uma consequência da própria obesidade, que uma vez corrigida pode alterar esse quadro, revertendo o mesmo. Mas atenção: caso volte a engordar e a aumentar a circunferência abdominal, o quadro de diabetes poderá ser novamente reestabelecido e o desenvolvimento do diabetes tipo 2 poderá voltar.
Embora ainda não haja uma cura definitiva para a/o diabetes de tipo 2 [a palavra tanto pode ser feminina como masculina], há vários tratamentos disponíveis que, quando seguidos de forma regular, podem proporcionar saúde e qualidade de vida para o paciente atingido pela doença, ou ainda a possibilidade da reversão total do quadro, a partir de dietas radicais, desde que sejam feitas após criteriosa avaliação médica e com acompanhamento durante todo o tempo por meio de exames laboratoriais. Isso porque nessas dietas radicais é grande o risco de acontecerem alterações bioquímicas no sangue, como oscilações dos níveis de potássio e cetose - consideradas de alto risco para a saúde. Para ilustrar as possibilidades da melhoria da qualidade de vida dos diabéticos com tratamentos adequados ou dietas radicais, pode-se citar o caso do jornalista Britânico, Robert Doughty, que por meio de uma dieta radical e altamente restritiva de 800 calorias, conseguiu reverter seu quadro de diabetes tipo 2.
Mas a saúde e uma qualiddade regular de vida com o diabetes do tipo 2 ou ainda sua total reversão, apenas podem acontecer com mudanças no estilo de vida, que passam por uma alimentação equilibrada, sem o abuso de doces e gorduras, rica em fibras e com a prática de atividades físicas, como caminhadas, por exemplo.

Além disso, na luta contra a doença, os diabéticos também podem contar com aliados como o betaglucano, pois ao contrário dos outros tipos de açúcares, o betaglucano, retirado do capim-natal-rosa, pode diminuir a quantidade de glicose da corrente sanguínea.

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. dtr2001.saude.gov.br/…
  3. www.roche.com/…
  4. www.minhavida.com.br/…
  5. lillypad.lilly.ca/…
  6. pt.wikipedia.org/…
  7. www.minhavida.com.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/1405

RSS/XML