Dia Estadual da Promoção da Saúde Bucal (21 de outubro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/1697

Próxima Celebração "Dia Estadual da Promoção da Saúde Bucal": Domingo, 21 de Outubro de 2018, : daqui 330 dias, 14:42:34-02:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 5 minutos.

O Dia Estadual da Promoção da Saúde Bucal em 21 de outubro de cada ano, é uma comemoração dos Estados brasileiros do Espírito Santo [Lei Nº 7.404 de 9 de dezembro de 2002] e Mato Grosso [Lei Nº 7.481 de 31 de julho de 2001].

Conforme as Leis do Espírito Santo e do Mato Grosso supracitadas mandam que as celebrações alusivas a essa data comemorativa compreendam a realização de seminários, debates, campanhas e outras atividades, que visem identificar e prevenir as doenças bucais da população espírito-santense e mato-grossense.

Dizem ainda as referidas Leis, que o Poder Executivo do Espírito Santo e do Mato Grosso poderão celebrar acordos com os Municípios e as entidades organizadas da sociedade civil interessados em participar das comemorações, para a realização dos eventos mencionados nas Leis aqui mencionadas.

Para conhecimento, um os problemas bucais mais comuns na população brasileira é a gengivite, que, quando não tratada, pode evoluir para a periodontite.
De acordo com a Associação Brasileira de Odontologia, menos de 22% dos adultos e cerca de 8% dos idosos brasileiros contam com gengivas totalmente saudáveis.
As complicações surgem quando a placa bacteriana não é removida e, assim, inicia-se a inflamação da gengiva. Suas características mais conhecidas são a vermelhidão, inchaço e o sangramento.
Quando acumulada por um período maior, a placa começa a endurecer pela deposição de sais minerais da saliva, dando origem ao cálculo dental, que é chamado de tártaro, e que fica firmemente aderido ao dente. Nesse ponto, a escovação já não é capaz de remover esse cálculos e, se o cirurgião-dentista não atuar, inicia-se uma destruição progressiva e irreversível das estruturas que sustentam os dentes: osso alveolar e ligamento periodontal, conforme a odontologista brasileira e cirurgiã-dentista da unidade de Transplante de Medula Óssea do HIAE [Hospital Israelita Albert Einstein], Fernanda de Paula Eduardo.
Conforme a odontologista brasileira, Letícia Bezinelli, um simples problema bucal pode se transformar num caso mais sério, a periodontite. Essa inflamação resulta em sangramentos, sensibilidade, retrações da gengiva, mau hálito, mobilidade, entre outros, podendo mesmo acarretar a perda dental. O grande problema da doença periodontal está no fato de que, na maioria das vezes, a periodontite vai se instalando de forma silenciosa e assintomática e, quando o paciente percebe, já existe um comprometimento severo da estrutura dentária."
Mas os problemas bucais não param por aí. Segundo a Associação Brasileira de Odontologia, 60% das crianças brasileiras têm cárie, um mal bastante comum nessa fase da vida. A cárie é uma doença infectocontagiosa, ou seja, transmissível. Ela surge a partir de resíduos alimentares que permanecem em contato com os dentes e são utilizados pelas bactérias presentes na boca. Assim, surge a placa bacteriana e, a partir dessa interação, há produção de ácidos que podem destruir as estruturas dentais.
Se não for rapidamente diagnosticado, esse processo evolui e pode levar à morte da polpa ou nervo responsável pela vitalidade do dente, podendo até levar à formação de um abscesso, que se caracteriza pela coleção de pus com a presença de bactérias. “Nesses casos, a preocupação é grande, pois existe o risco de uma infecção local se disseminar para outras partes do organismo”.
Entre os motivos que levam ao problema da cárie estão sobretudo a falta de higiene e a má alimentação, o que inclui a alta ingestão de açúcar. As orientações para evitar cáries na infância devem começar com as mães ainda gestantes, pois alguns fatores podem interferir no desenvolvimento dos dentes do bebê. Determinados antibióticos, como a tetraciclina, administrados em gestantes ou lactantes podem causar descoloração ou manchas nos dentes.
Em que pese a cárie e a doença periodontal serem os principais e mais comuns problemas bucais, existem outras complicações que merecem destaque e alerta. Entre eles estão o câncer bucal ou câncer de boca
Mais frequente no lábio inferior, o câncer bucal é um tumor que pode afetar todas as estruturas da cavidade oral. A incidência é alta no Brasil, com mais de 10 mil novos casos por ano, levando ao óbito cerca de 3.500 pessoas. No início, surge uma ferida na boca que não provoca dor, mas que não cicatriza. O diagnóstico precoce é fundamental para a cura. Se houver qualquer alteração de cor e volume na boca, é necessário procurar o cirurgião-dentista. Os principais fatores de risco do Câncer de boca são:

  • idade superior a 40 anos;
  • fumo de cachimbos e cigarros;
  • consumo de álcool em excesso;
  • má higiene bucal; e
  • uso de próteses dentárias mal-ajustadas.

A herpes é um outro problema, e costuma aparecer depois de situações que provocam baixa resistência imunológica, como estresse. Na fase inicial, o paciente pode apresentar ardor, coceira e a região fica mais avermelhada. A partir daí aparecem as vesículas, fase considerada contagiosa. Nesse período, é necessário atenção para evitar o uso conjunto de talheres, copos, entre outros objetos de uso comum.
O mau hálito também preocupa e ocorre por inadequada higiene bucal, gengivite, ingestão de determinados alimentos, como molhos picantes, tabaco, boca seca e doenças do estômago, fígado e rins. Pode ser mais evidente no período matutino, devido à menor produção de saliva durante a noite, o que contribui para a deterioração dos ácidos e de outras substâncias no interior da boca.
Já as aftas são ferimentos na mucosa, de coloração branca e avermelhada ao redor. Não existe uma causa específica para o aparecimento das aftas e elas podem ser consideradas uma alteração no sistema imunológico. Duram de uma a duas semanas.
Todos esses problemas podem ser tratados, mas os odontologistas alertam os pacientes sobre a importância da prevenção e de diagnósticos prematuros. Para tanto é preciso visitar o dentista periodicamente. Outro conselho é uma alimentação saudável, com pouca ingestão de açúcares, pois esse é tido como o 1º passo para uma boa saúde bucal. Há ainda outros fatores essenciais que devem ser levados em conta como uma higiene oral correta por meio de escovação dos dentes e da língua, uso de fio dental para alcançar regiões que a escova não alcança, e uso de enxaguatório bucal.

Fontes consultadas:

  1. www.al.es.gov.br/…
  2. www.sad-legislacao.mt.gov.br/…
  3. www.einstein.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/1697

RSS/XML