Dia do Orquidófilo (17 de dezembro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/3505

Próxima Celebração "Dia do Orquidófilo": Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018, : daqui 296 dias, 16:55:12-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia do Orquidófilo em 17 de dezembro de cada ano, é uma comemoração no Estado brasileiro do Espírito Santo, que foi criada pela Lei Nº 9.478 de 18 de junho de 2010, e que conta com o apoio da SEO [Sociedade Espiritossantense de Orquidofilia].

Em que pese minhas muitas pesquisas e inúmeros esforços, ainda não foi possível determinar maiores explicações e porquês para a criação dessa data comemorativa de espírito-santenses, mesmo depois da leitura da íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 440 de 21 de agosto de2009 da Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

Para conhecimento, a origem da palavra orquidofilia vem do grego orchidos + filein, que significa apreciar orquídeas. No Brasil, os primeiros "cultivadores" de orquídeas foram as tribos indígenas. O Brasil é um dos maiores santuários mundiais de orquídeas, devido a condição climática do país, o que faz com que o Brasil possua um grande mercado interno e baixo custo de produção de flores.
Já o orquidófilo é aquele indivíduo especializado no cultivo de orquídeas, tanto profissionalmente, sendo produtor e fornecedor de plantas para floristas, quanto apenas como um passatempo e por prazer.

Segundo a Sociedade Espiritossantense de Orquidofilia, "o Espírito Santo é o Estado do Brasil que mais hospeda espécies de orquídeas. Desde as matas de restinga, próximas ao mar, passando por pântanos ou savanas e indo até as pedras das montanhas, pode-se encontrar espécies  diversificadas de  orquídeas. Laélia Tenebrosa, Cattleya Schilleriana, Laélia Pumila, Oncidium Crispum, etc... Pois são apenas exemplos  de espécies encontradas neste verdadeiro orquidário natural, que  é  o Estado capixaba, considerado como referência internacional em espécies de orquídeas, com o maior e mais variado número de espécies do mundo. O principal motivo é sua posição geográfica, cujas altitudes variam de 100 a2.000 metros, em comparação com cidades litorâneas com a Serra do Caparaó, no sul do Estado." Por isso, o Espírito Santo conta hoje com cerca de vinte associações de orquidófilos que, preocupados com preservação das orquídeas no Brasil, reproduzem-nas em seus laboratórios a fim fomentar esse cultivo, e principalmente, visando a preservação das espécies ameaçadas de extinção.

Entre os orquidófilos que se destacam no Estado espírito-santense, tem-se o cientista brasileiro técnico agrícola e apreciador de orquídeas e bromélias, Roberto Anselmo Kautsky, que nasceu em 23 de maio de 1924 na localidade brasileira de Santa Isabel-ES, filho do imigrante austríaco, Roberto Carlos Kautsky, com a imigrante alemã, Elisabeth Schwambach, Roberto, cerca de um ano após o casamento de seus pais. Autodidata no estudo de plantas e bichos da Mata Atlântica, é conhecido também como o "Senhor das orquídeas" e agraciado por conta do seu trabalho, com os títulos de Doutor Honoris Causa pela Universidade do Rio de Janeiro, de Honorary Trustee do Journal of Bromeliad Society (EUA) e do The Cryptanthus Society Journal e, além de mais uma centena de títulos honoríficos. Roberto é, sem dúvida, o símbolo da determinação e do trabalho incansável pela natureza. É citado com respeito entre os cientistas devido as pesquisas e descobertas que contribuíram e continuam contribuindo para a ciência. Há muitos anos vem coletando plantas nos desmatamentos indiscriminados e reintroduzindo na natureza, tendo inclusive preservado uma área de 300.000 m2 de florestas virgens em sua cidade de origem que é Domingos Martins, no Espírito Santo. Kautsky transformou seu sítio numa reserva natural, onde protege as plantas e os bichos da Mata Atlântica. Para esta reserva levou mais de cem mil plantas que coletou nos desmatamentos indiscriminados que têm causado a destruição das florestas no Brasil para uso da agricultura.

As pesquisas de Kautsky já foram publicadas na Alemanha, Japão, Estados Unidos, Inglaterra, Suíça e França. Ele tem seu nome ligado a mais de cem espécies registradas, graças ao envio permanente de plantas para serem estudadas, contribuindo para que o número de orquídeas brasileiras passassem de 110 para mais de 700.
Roberto acreditava que viver com qualidade era estar em harmonia com a natureza, consigo mesmo e com os outros, tendo falecido aos 86 anos de idade, na noite do dia 25 de maio de 2010.

Fontes consultadas:

  1. www.conslegis.es.gov.br/…
  2. www.al.es.gov.br/…
  3. www.institutokautsky.org.br/…
  4. www.al.es.gov.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/3505

RSS/XML