Dia da Catedral Presbiteriana do Centro (12 de janeiro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/3558

Próxima Celebração "Dia da Catedral Presbiteriana do Centro": Sexta-Feira, 12 de Janeiro de 2018, : daqui 80 dias, 14:36:24-02:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia da Catedral Presbiteriana do Centro em 12 de janeiro de cada ano, é uma comemoração na cidade brasileira do Rio de Janeiro-RJ, que foi criada pela Lei Nº 5.195 de 30 de junho de 2010, através da qual se alterou a Lei Nº 5.146 de 7 de janeiro de 2010, mandando ainda, incluir essa edificação da Rua Silva Jardim, Nº 23, no Centro da capital dos cariocas, no roteiro turístico do Município do Rio de Janeiro.

Essa data comemorativa da capital dos cariocas tem por fim, marcar a data do surgimento das bases para a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, também conhecida como Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, uma igreja do Presbitério Rio de Janeiro, concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil, que se deu em 12 de janeiro de 1862, quando o Pastor e missionário presbiteriano dos Estados Unidos da América, Ashbel Green Simonton, um jovem de apenas 26 anos de idade, recebeu por pública profissão de fé duas pessoas: Henry E. Milford e Camilo Cardoso de Jesus, no 2º andar do prédio localizado no Nº 31 da Rua Nova do Ouvidor, declarando então, organizada a Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil.

Depois que Ashbel Green Simonton, então já viúvo de sua esposa, Helen Murdoch, sentindo-se adoentado, viajou para a cidade brasileira de São Paulo-SP, no final de 1867, onde sua irmã e seu cunhado criavam a filhinha do seu casamento com Helen, a pequena Helen Murdoch Simonton, e o seu estado de saúde agravou-se, fazendo com que ele viesse a falecer prematuramente no dia 9 de dezembro, com apenas 34 anos de idade, acometido de "febre biliosa", conforme consta do seu registro de sepultamento, na verdade, vítima de febre amarela, doença que todos os anos ceifava milhares de vidas, sua obra sobreviveu, graças à sua determinação e confiança em Deus, que foram fatores decisivos para a sua obra missionária no Brasil, que já contava então com o Seminário Primitivo, localizado em um edifício de vários pavimentos junto ao Campo de Santana, pois a atual Catedral Presbiteriana do Centro, uma propriedade adquirida por treze contos de réis em dezembro de 1870 no centro da capital dos cariocas pelo também reverendo norte-americano, Alexander Latimer Blackford, naqueles primórdios, foi o 6º local de reuniões dos primeiros presbiterianos brasileiros.

Com ofertas de irmãos de igrejas presbiterianas dos Estados Unidos da América, somadas com as ofertas e doações dos irmãos do Rio de Janeiro, foi possível construir um local mais apropriado para o culto e para a reunião dos fiéis, sendo inaugurado em 29 de março de 1874, num solene culto, o 1º "Templo" Presbiteriano no Brasil, muito embora então o mesmo não pudesse ser chamado oficialmente de Templo, pois as leis daquele tempo no Império Brasileiro não permitiam que religiões diferentes da religião oficial do Estado, o Catolicismo Apostólico Romano, construíssem locais de culto com arquitetura litúrgico-religiosa, conforme registra o Artigo 5º da Constituição Política do Império do Brasil de 25 de março de 1824:
"[...] Art. 5º. A Religião Catholica Apostólica Romana continuará a ser a Religião do Império. Todas as outras Religiões serão permitidas com seu culto doméstico, ou particular em casas para isso destinadas, sem forma alguma exterior do Templo. [...]"

Depois de centenas de anos, construções, reconstruções, reformas e muito esforço, o atual prédio é um exemplar de arquitetura religiosa, em estilo neogótico. O seu projeto foi inspirado na Catedral de Saint-Pierre da cidade suíça de Genebra. Restaurado e iluminado, o templo é tombado como patrimônio histórico da cidade do Rio de Janeiro. A construção conta com linhas neogóticas e uma moderna iluminação artística, que, de noite, torna suas paredes externas de pedra marrom-acinzentado numa superfície multicolorida. A decoração interna conta com vitrais feitos pela decoradora brasileira, Maria Celina Simon, em 1947, além de bancos e altar fabricados com madeira nobre. Na frente do templo, há uma estátua dos pastores franceses, Guilhaume Chartier e Pierre Richier, esculpida em 2007 pelo artista plástico brasileiro, Joás Pereira Passos, em homenagem aos 450 anos do 1º culto evangélico no Brasil.

Fontes consultadas:

  1. mail.camara.rj.gov.br/…
  2. www.guiadasemana.com.br/…
  3. pt.wikipedia.org/…
  4. www.catedralrio.org.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/3558

RSS/XML