Dia da Agricultura Natural (1 de agosto)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/914

Próxima Celebração "Dia da Agricultura Natural": Quarta-Feira, 1 de Agosto de 2018, : daqui 250 dias, 22:05:46-02:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia da Agricultura Natural em 1 de agosto de cada ano é uma comemoração do Estado brasileiro do Rio de Janeiro, que foi instituída pela Lei Nº 3.705 de 6 de novembro de 2001, e que foi ratificada pela Lei Nº 5.645 de 6 de janeiro de 2010.

A Lei supracitada do Rio de Janeiro determina que as celebrações dessa data comemorativa deverão ser incluídas nos calendários oficiais de eventos da Secretaria de Agricultura, Secretaria de Educação e Secretaria de Cultura.

Em que pese minhas pesquisas, e mesmo depois da leitura da íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 2.559 de 18 de setembro de 2001, eu ainda não logrei obter maiores explicações e porquês para esse dia festivo do Estado dos cariocas.
Apenas consegui constatar que a instituição dessa data celebrativa, trata-se de um tributo ao movimento da Agricultura Natural, preconizado pelo Mestre da Igreja Messiânica Mundial, filósofo e religioso japonês, Mokiti Okada, em prol do abastecimento de alimentos aliado à preservação do Meio Ambiente e à qualidade de vida do homem.

Segundo um texto da Fundação Mokiti Okada, A Agricultura Natural é desenvolvida respeitando-se os princípios da Natureza, tomando-a como modelo e obedecendo-se às suas leis.
A filosofia de Mokiti Okada preconiza que a Natureza no seu estado original, é a Verdade, e portanto, deve ser respeitada.
Conforme Mokiti Okada esclarece em diversos tratados, a humanidade veio gradualmente se afastando da Lei da Natureza no curso do seu desenvolvimento, até promover o atual estágio de degradação do meio ambiente, em nível quase irreversível de destruição.
Nesse contexto, situa-se a agricultura. O problema, acrescido do aumento populacional do planeta, dificilmente seria resolvido pela continuidade do método agrícola convencional.
Já em 1935, Mokiti Okada afirmava: "O método agrícola que negligencia o poder do solo, as plantações e a Natureza, prejudica não somente o solo, mas todo o ambiente de cultivo, criando uma nova crise na humanidade".
A filosofia de Mokiti Okada, que preconiza a identidade espírito e matéria, defende a tese de que o espírito é inerente não somente aos seres humanos, mas aos animais, aos vegetais, enfim, a todos os seres.
Sendo o solo o maior organismo vivo do planeta, é de se considerar a importância do respeito que a ele se deve ter para a preservação da vida humana, em níveis espirituais e materiais, razão por que a Agricultura Natural centra no solo, a base de seu trabalho.
A proposta de Mokiti Okada para a nova agricultura não representa simplesmente o aperfeiçoamento de algumas técnicas atuais de cultivo. Trata-se de uma verdadeira “revolução agrícola”, considerando-se o pilar sobre o qual se desenvolve o seu pensamento.
Segundo Mokiti Okada “... Nada poderia existir no Universo sem os benefícios da Grande Natureza, ou seja, nada nasceria nem se desenvolveria sem os três elementos básicos: o Fogo, a Água e a Terra.
O poder fundamental do desenvolvimento das plantas corresponde ao elemento Terra; os elementos Água e Fogo têm um poder de atuação secundário. Conseqüentemente, dependendo da qualidade do próprio solo, tem-se o resultado bom ou ruim da planta, de modo que no caso do cultivo, a condição principal é melhorar ao máximo, a qualidade do solo.
O atual excesso de alimentos contaminados por agrotóxicos lançados nas plantas e no solo tem resultado no aumento crescente de doenças, o que contribui para a elevação do índice de pobreza e de conflitos na vida humana.
Isso requer uma responsabilidade consciente para a produção e o abastecimento de alimentos verdadeiros e sadios, indispensáveis para a criação de uma sociedade saudável, próspera e pacífica. Neste aspecto, verifica-se a ação altruísta que visa a sobrevivência da humanidade.
Hoje, sabemos que se se utilizar corretamente as forças e a energia da Natureza, é possível a obtenção de uma produção suficiente, com colheitas abundantes, sadias, saborosas e nutritivas, sem a necessidade do uso de fertilizantes químicos ou biocidas, como atesta o crescimento de árvores e ervas nos campos e matas, sem o ataque de insetos que as prejudiquem.
Assim, através de criteriosas pesquisas, a Agricultura Natural visa restabelecer o estado natural de produção de alimentos e é desenvolvida seguindo-se um sistema técnico capaz de alcançar os objetivos do método, que são:

  • produzir alimentos que incrementem cada vez mais a saúde do homem.
  • ser econômica e espiritualmente vantajosa, tanto para o produtor como para o consumidor;
  • poder ser praticada por qualquer pessoa e, além disso, ter caráter permanente;
  • respeitar e conservar a Natureza; e
  • garantir alimentação para toda humanidade, independente do crescimento demográfico da população.

Fontes consultadas:

  1. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  2. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  3. www.megaagro.com.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datas.blog/914

RSS/XML